sábado, 13 de outubro de 2018

“Tentativa”, o maior patrimônio cultural erudito de Atibaia, completa 70 anos.


















Em abril de 2019, o jornal literário Tentativa completará 70 anos. Criado por André Carneiro, sua irmã Dulce Carneiro e o amigo Cesár Mêmolo Jr., Tentativa reuniu no município o que havia de mais significativo na cultura da época. Com isso alcançou projeção nacional e internacional ao contar com correspondentes nas principais capitais mundiais como Lisboa, Buenos Aires e Paris. Foi considerado o melhor jornal literário do país. Tentativa, pasmem, foi totalmente produzido em Atibaia e figura como legítimo representante da Geração Modernista de 45. Em 2006 a Prefeitura de Atibaia e o Arquivo do Estado publicaram uma versão fac-símile do jornal. A organização foi de Araceles Stamatiu e continha o texto que segue, do escritor Carlos Alberto Pessoa Rosa. Saiba mais.

Tentativa
Sem palavras. Mais próximo de um olhar. Ligado ao umbigo do tempo. Adormecido nos entres de um museu. Assim encontrei Tentativa, nos anos oitenta. Alguém me falou...Seria injusto citar nomes sem ter a certeza. Apresentação: Oswald de Andrade. Ilustração: vista de Atibaia, por Aldemir Martins. Abril de 1949. No Subsolo do Esquecimento, J. B. Peçanha Sobrinho parecia intuir. Oswaldo Barreto Filho; Ciro Pimentel; Del Picchia; Hilda Hilst. Teatro, cinema, literatura. Páginas que não envelhecem, sincronia de Alcântara Silveira com o tempo. Imagem: J. Carvalhal Ribas. E o Décio Pignatári, Ledo Ivo, Otto Maria Carpeaux...Não devem se lembrar. Saí como um garimpeiro que descobriu o mais puro diamante. Tirei uma cópia e encadernei. Muito tempo depois, fiz o Meio-Tom, um jornal alternativo que rodou territórios desconhecidos, levava sempre um fragmento retirado da revista. Continua levando, agora na internet. Descobri no espólio de Vergílio Ferreira, em Portugal, a falta de um conto seu publicado em dezembro de 1950: Pureza. Está lá, com agradecimento e tudo a Atibaia. Que tempos...André Carneiro, Cesar Mêmolo Jr. e Dulce G. Carneiro merecem essa publicação. Atibaia merece. O Brasil merece. O mundo merece. Quem poderia imaginar a história da literatura brasileira, geração de 45, sendo construída também em Atibaia? Estão de parabéns todos aqueles que, como eu, acreditam que a memória de um país precisa ser preservada e cultuada.
Carlos Alberto Pessoa Rosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário